Salesforce.com cede à pressão e tira nome "empresa social" de sua marca

A Salesforce.com decidiu retirar de suas aplicações a marca de "empresa social" após objeções de organizações sociais que sustentaram que o termo é usado para descrever companhias com propósito social, afirmou nesta terça-feira (4/9).

A companhia de cloud computing, que usou o termo “empresa social” para indicar o uso de mídias sociais e tecnologias relacionadas por seus clientes, parceiros e funcionários, também disse que vai remover todas as referências de “empresa social” dos materiais de marketing no futuro.

A marca da Salesforce.com gerou, em alguns países, críticas de pessoas importantes e organizações, incluindo Muhammad Yunus, fundador do Grameen Bank, em Bangladesh, e Prêmio Nobel da Paz. Em carta enviada em agosto para Marc Benioff, presidente e CEO da Salesforce.com, ele pediu que a empresa deixasse de usar o termo “empresa social” para o lucro privado, retirando de suas aplicações a marca registrada. Yunus  também solicitou que a fabricante parasse de usar o termo para descrever seus produtos e serviços.

"Empresa social é amplamente compreendida para descrever companhias que existem para tratar de questões sociais e ambientais, cujos excedentes são reinvestidos, principalmente, para fazê-lo, em vez de motivada pela necessidade de maximizar os lucros para os acionistas e proprietários", disse  Yunus em carta, que foi assinada por um número de assistentes sociais e chefes de organizações focadas em causas sociais.

A Social Enterprise UK, organização do Reino Unido que reúne empresas sociais no país, conduziu uma campanha chamada "Not In Our Name" [Não em Nosso Nome], que tem como objetivo manter a marca "para o movimento social real”. As organizações sociais estavam preocupadas que a marca de “empresa social” usada pela Salesforce.com pudesse levar à confusão no setor social.

"A Salesforce.com não possui ou pretende possuir os direitos de marca para o termo ‘empresa social’ no setor sem fins lucrativos, e não pretende restringir usos descritivos da frase por outros em filantropia, responsabilidade social, envolvimento da comunidade ou de missão organizações orientadas", disse a Salesforce.com em um post publicado no blog da empresa em agosto.

Benioff disse em comunicado nesta terça-feira que nunca foi intenção da empresa "criar confusão no setor social, que temos apoiado desde a nossa fundação".

A Salesforce.com vem acrescentando ao seu portfólio tecnologias de mídia social para os negócios. Recentemente, comprou a plataforma de social media marketing da Buddy Media, que é usada por cerca de 1 mil clientes, incluindo Ford e L'Oreal.

Sobre a salesforce.com

Com 100,000+ clientes, a salesforce.com é a empresa de computação empresarial nas nuvens que está liderando a mudança para a empresa social. As empresas sociais capitalizam as tecnologias sociais, móveis e abertas nas nuvens para colocar os clientes no centro de seus negócios. Baseados em sua arquitetura em tempo real para vários usuários, a plataforma e os serviços de aplicativos da salesforce.com incluem:

 

Nenhum serviço ou recurso ainda não lançado que seja mencionado aqui ou em outros comunicados à imprensa ou declarações públicas se encontra disponível no momento, podendo não ser lançado pontualmente ou nem mesmo ser lançado.  Ao adquirir aplicativos da salesforce.com, os clientes devem tomar suas decisões de compra com base nos recursos disponibilizados no momento. A salesforce.com tem sede em São Francisco e filiais na Europa e na Ásia. Suas ações são negociadas na Bolsa de Valores de Nova York sob o símbolo "CRM". Para obter mais informações, visite  http://www.salesforce.com ou ligue para 1-800-NO-SOFTWARE (EUA).
###
Copyright (c) 2011 salesforce.com, inc. Todos os direitos reservados. salesforce.com, Salesforce, Chatter, Sales Cloud, Service Cloud, Radian6, Data.com, AppExchange, App Cloud, Heroku e todos os logotipos associados são marcas comerciais da salesforce.com, inc. nos Estados Unidos e em outros países. Os demais nomes aqui usados podem ser marcas comerciais de seus respectivos proprietários.