Tempo de leitura: 9 minutos

O que é Marketplace? Saiba como funciona e quando investir neste modelo de negócio

Se você costuma fazer compras online, pode já ter ouvido o termo Marketplace, a buzzword do momento. Apesar deste modelo de negócio ainda gerar dúvidas em empresários e gestores de marketing, o conceito é bem simples: podemos, resumidamente, dizer que os Marketplaces são shoppings online.  

A ideia de Marketplace ainda não está bem explicada para você? Então confira o artigo a seguir e entenda de vez o que essa proposta significa e como funciona na prática.

O que é Marketplace?

Em uma plataforma de Marketplace, diferentes lojas podem anunciar seus produtos, oferecendo um leque amplo de opções ao cliente. Lembra das vitrines em sites como Submarino e Lojas Americanas, que agrupam produtos de diversos vendedores? Então, isso é um Marketplace.

Dessa forma, trata-se de uma rede cujos vendedores podem fazer suas ofertas dentro do mesmo site. Em outras palavras, é como um shopping center online, cujos visitantes têm acesso a várias lojas.

E não, Marketplaces e e-commerces não são a mesma coisa. No caso do primeiro, você pode entrar no site da Loja X e adquirir um fogão que está sendo vendido pela Loja Y. Já no segundo, se você entrar no site da Loja X, o fogão comprado será necessariamente vendido pela própria Loja X.

Quais as vantagens e desvantagens de apostar no Marketplace?

Como todo modelo de negócio, investir em Marketplaces oferece vantagens e desvantagens – e nós vamos listá-las a seguir.

Entre as principais vantagens, podemos dizer que há:

  1. Maior retenção de clientes

    Inclusive, é possível que os clientes voltem com frequência por encontrar a sua marca em um portal com ampla oferta e diversidade de produtos. Afinal: é muito mais prático realizar várias compras em um único site (e um único pagamento) do que em vários.

  2. Potencial de crescimento internacional

    Como a plataforma conta com lojas variadas, públicos igualmente variados são atraídos, tornando sua marca mais conhecida e podendo internacionalizar as vendas em menos tempo, se o plano fizer parte da sua estratégia.

  3. Otimização de custos com estratégias de marketing

    Um dos grandes atrativos do Marketplace é o seu potencial viral, podendo, eventualmente, reduzir os custos de estratégias de marketing digital. Como a maioria trabalha com porcentagem e comissões sobre vendas, os sites acabam já investindo em mídia e propaganda com expertise – o que beneficiará também o seu negócio.

  4. Um canal adicional de vendas

    Inserir seus produtos em um Marketplace cria novos pontos de contato com os clientes, aumentando suas chances de encontrá-los onde preferem comprar. Assim, marcar presença nos principais Marketplaces aproxima você do seu público atual e de potenciais clientes – e torna a experiência de compra dinâmica e satisfatória.

  5. Integrações simplificadas

    Ao optar pelo Marketplace como ponto de venda, sua empresa usufrui da estrutura oferecida pela plataforma sem se preocupar com funcionalidades, códigos, integração com meios de pagamento e mecanismos de segurança, entre outros aspectos trabalhosos e que exigem conhecimento especializado.

 

Já entre as principais desvantagens de vender via Marketplace, precisamos citar que:

 

  1. É um pouco difícil escolher uma boa plataforma


    Muitos fatores devem ser levados em conta na hora de escolher o Marketplace para disponibilizar seus produtos. Um deles é a qualidade do suporte. Por isso, verifique se a plataforma oferece uma gama interessante de canais de atendimento, como redes sociais, e-mail, telefone e live chat – tanto para clientes quanto para lojistas.

  2. Existe a comissão da plataforma

    Os Marketplaces cobram algumas taxas ou comissões das lojas parceiras. Aderindo a esse modelo de negócio, o lojista precisa se adaptar às regras e arcar com possíveis ajustes ao longo do tempo, tendo que administrar as variações de custos.

  3. Há competição direta com os concorrentes no mesmo local

    Com a grande popularidade dos Marketplaces no Brasil, uma infinidade de lojistas é atraída para estes canais. Na prática, isso significa que você precisa optar por um parceiro que atenda ao seu nicho de mercado – e que consequentemente, também comercialize produtos de seus concorrentes.

  4. As opções de personalização são limitadas

    Por funcionar como um grande shopping, o modelo de Marketplace dificulta a fixação de uma marca específica na mente do consumidor. Por você não ser o “dono” do site, não é possível realizar um trabalho amplo de identidade de marca, como o que seria feito em um e-commerce próprio.

Por que integrar o seu e-commerce com o Marketplace? Confira o que o Salesforce Commerce Cloud pode fazer por você

Sem dúvida, vender via Marketplace torna a experiência do cliente mais fácil e agradável. Os consumidores podem conhecer e investir na sua empresa com a chancela de um portal de confiança, onde já têm o hábito de comprar. Sua empresa, por outro lado, ganha um canal altamente visado de vendas e atendimento, sem um grande ônus de manutenção.

Além disso, você pode utilizar a visibilidade do Marketplace para trazer tráfego qualificado para o seu e-commerce – e, desde já, trabalhar o relacionamento, preparando a fidelização de novos clientes. No entanto, por aumentar o alcance da empresa, o Marketplace exige que seu e-commerce funcione muito bem, e possa administrar o crescimento da demanda.

Nesse sentido, é importante ter uma plataforma de e-commerce eficiente, com funcionalidades inteligentes e que permita uma integração prática, focada em somar resultados, como o Salesforce Commerce Cloud.

Equipado com a tecnologia do Einstein, o Commerce Cloud fornece uma visão completa e aprofundada do comportamento do consumidor, obtendo dados em tempo real do seu e-commerce e outras fontes, como o Marketplace. Os dados e insights são sincronizados na nuvem, para que você e sua equipe tenham acesso às informações mais atualizadas.

Com o Commerce Cloud, você conecta a experiência do cliente em uma plataforma integrada, que facilita o trabalho conjunto de seus times e articula a jornada do cliente nos vários pontos de contato com a empresa. Assim você monitora tudo – desde o ponto em que o cliente descobriu a marca, até quando, onde e como comprou.

Também vale ressaltar como aplicar o CRM no e-commerce ajuda na comunicação com os clientes, permitindo pensar estratégias personalizadas que contemplem automação e escalabilidade. Dessa forma, as vendas do seu negócio tendem a crescer, já que o CRM trabalha para gerar conversões de maior valor.


E então: que tal começar a integração entre e-commerce, Marketplace e CRM agora mesmo?

Tiramos suas dúvidas sobre Marketplace?

Esperamos ter ajudado você a compreender melhor o que é Marketplace e por que aliar esta estratégia de vendas às melhores práticas de CRM.

Confira outros conteúdos sobre marketing e vendas no nosso blog e Centro de Recursos – e para aderir ao nosso CRM, entre em contato com um de nossos representantes. Até a próxima!