E-commerce: saiba como criar a vitrine da sua loja virtual.

 

Quem nunca se interessou por um produto ou uma loja depois de conferir a vitrine? Ainda hoje, este é um dos principais recursos usados para atrair clientes e divulgar campanhas de vendas. Quando bem projetada, a vitrine é um elemento importantíssimo para destacar novidades, consolidar a marca da empresa e encantar o seu público-alvo.

O que é lugar-comum para as lojas físicas, no entanto, nem sempre é aplicado às lojas virtuais. Seja por distração, seja pelo esforço em atualizá-la, algumas empresas mantêm sua vitrine virtual – a home do e-commerce – estática por longos períodos, limitando-se a cadastrar novos produtos e seguir o calendário do varejo. Com isso, acabam perdendo oportunidades de alavancar as vendas por meio do design de experiência e de interface (UX/UI design), melhorando a navegação do site e o relacionamento com os consumidores.

É preciso lembrar que, no mundo do e-commerce, toda a internet consiste em uma grande vitrine, onde a “fachada” de cada loja está lado a lado com a da concorrência. Por isso, garantir uma boa impressão é essencial para se diferenciar e promover bons resultados. Neste texto, vamos apresentar dicas para você montar uma vitrine virtual completa, que vai favorecer as vendas e o marketing do seu negócio. Continue lendo e confira!

 

Vantagens de criar (e manter) uma vitrine virtual atrativa.

 

A vitrine virtual tem grande apelo para as vendas e o marketing do seu e-commerce. Além de direcionar a jornada de compra, o visual da home se insere em um planejamento mais amplo de marca – sendo um aspecto especialmente estratégico para negócios 100% virtuais, sem pontos físicos de venda.

Entenda abaixo as principais vantagens de uma vitrine virtual bem elaborada:

 

  • Reconhecimento de marca (brand awareness): a home do e-commerce é um espaço privilegiado para fortalecer a identidade e a presença digital da sua marca. Adequando o design da home e das páginas de produto, você facilita que seus clientes associem o site aos demais canais de venda, e ajuda novos consumidores a se familiarizarem com a empresa;
  • Personalização: você sabia que pode customizar a vitrine da loja virtual para públicos diferentes? Esta é apenas uma das maneiras como a sua empresa pode agregar à experiência do cliente (consumer experience ou CX), foco atual das tendências em e-commerce. Acredite: se puderem acessar bens e serviços alinhados com o seu perfil, os clientes podem relevar algumas limitações do seu negócio – e até pagar um pouco a mais por produtos e recursos premium;
  • Visibilidade para ações promocionais: o público adora novidades e promoções, mas precisa conhecê-las para comprar. Como em qualquer outra loja, a vitrine do e-commerce é o espaço ideal para divulgá-las, observando a hierarquia de informações e o design de banners e outras peças promocionais. A praticidade do meio online também ajuda a promover campanhas de menor duração, com custos mais baixos e alinhadas às oportunidades do momento;
  • Mais – e melhores – conversões: destacando promoções e agilizando o processo de compra, sua vitrine virtual pode contribuir para o aumento da taxa de conversão e o desbloqueio de gargalos de vendas. Dependendo do layout escolhido, a home também pode estimular conversões de maior valor – como é o caso das vendas por up-selling e cross-selling.

 

Como criar uma vitrine virtual: dicas de planejamento e design.

 

Sendo a home do e-commerce sua vitrine virtual, você sempre terá um mostruário disponível para os visitantes do site. Para realmente se destacar, porém, sua vitrine precisa sair do modo automático – ou seja, deve ser montada de forma consciente e permanecer atualizada.

Idealmente, a vitrine da sua loja virtual deve preencher requisitos como:

 

  • Objetividade: ser simples, organizada e fácil de navegar;
  • Capacidade ilustrativa: oferecer o máximo de visibilidade e compreensão dos produtos;
  • Eficiência: ter linkagens corretas e carregar rapidamente no desktop e no mobile;
  • Harmonia e estética: ter um design agradável e alinhado à identidade da marca.

 

Vale ressaltar também que, como regra, as compras que partem da vitrine (física ou virtual) são feitas por impulso, em reação imediata ao produto. Isso significa que o apelo emocional deve ser preservado – e a melhor forma de garanti-lo é removendo obstáculos, tornando o processo de compra fácil e fluido. Isso é especialmente importante na internet para que o usuário não se frustre, desistindo de navegar o seu site e migrando para os concorrentes.

Nossas dicas fizeram sentido até aqui? Confira ponto a ponto mais algumas recomendações:

 

  1. Faça o mapa de calor do site

    A meta do UX é proporcionar uma navegação natural, inspirada nos movimentos do usuário. Identifique as “zonas quentes” que os visitantes mais visualizam e clicam na home (e, de preferência, em cada página do seu e-commerce). Esse estudo determina os melhores locais para posicionar conteúdos importantes, como banners, carrosséis e chamadas para a ação.


  2. Não esconda o ouro

    Antes mesmo de ter o mapa de calor em mãos, reserve as áreas nobres da vitrine virtual para itens prioritários da estratégia de vendas. Tente posicioná-los próximos ao topo da página e no sentido da leitura do usuário (da esquerda para a direita).


  3. Estruture o mapa mental do usuário

    Geralmente, quanto mais produtos estiverem à mostra, maiores serão as chances de conversão na página. Porém, encher a vitrine de ofertas pode poluir o visual, além de dificultar a navegação. Crie uma lógica interna de conteúdos que seu usuário possa assimilar, direcionando as ações dele de forma sutil. Algumas das classificações mais populares são de itens por promoção, por coleção, por faixa de preço e por categoria.


  4. Inove nas categorias e filtros

    Além das divisões por preço, coleção e tipo de produto, há muitas outras formas de organizar sua vitrine virtual. Seja criativo! Agrupar os produtos mais vendidos, mais procurados e similares aos que o usuário já visualizou são ideias que avançam a jornada de compra, na medida em que facilitam a localização de produtos relevantes para o consumidor.


  5. Invista em imagens

    Nenhuma vitrine se sustenta sem apelo visual. Por isso, não economize na produção e no tratamento de fotos e vídeos. Por não terem o produto em mãos, os consumidores dependem desses recursos para avaliá-lo: disponibilizar imagens de vários ângulos, com ambientação adequada e ilustrando as possibilidades de uso, eleva muito a confiança na marca e as chances de compra.


  6. Qualifique as páginas de categoria e produto

    Sua vitrine virtual convenceu o visitante a conferir algum produto. Para sustentar esse interesse, as páginas de categorias e produtos específicos devem ser tão atrativas quanto a home do e-commerce. Disponibilize textos informativos, imagens (também com texto alternativo) e filtros versáteis para auxiliar na busca. Essas informações melhoram ainda o ranqueamento em mecanismos de busca, colocando sua loja entre os primeiros resultados e remetendo mais usuários para o site.


  7. Alinhe vitrine virtual e redes sociais

    Plataformas como o Instagram oferecem a opção de marcar produtos nas publicações do perfil, facilitando a visualização e o acesso à loja. Aproveite este recurso para expandir a sua vitrine virtual: produza imagens próprias para as redes sociais, mantendo a identidade visual da marca, e “desafogue” o mostruário do site, variando os conteúdos entre os diferentes canais.

 

Cuide da vitrine do seu e-commerce com a Salesforce.

 

Dedicar atenção à vitrine virtual é uma forma simples e econômica de atrair o público e criar vantagens competitivas. Pesquise serviços que possam auxiliá-lo nessa tarefa, e experimente configurar manualmente o mostruário do site. Na Salesforce, além de um CRM completo para monitorar processos de vendas, você encontra ferramentas que apoiam o design UX/UI de e-commerces. Ficou interessado? Entre em contato com nossos consultores e saiba como podemos ajudar você!