Tempo de Leitura: 8 minutos

Saiba como impulsionar as vendas online em datas comerciais e comemorativas

 

O calendário comercial 2021 abre o segundo trimestre com bons resultados. 

Em março, as campanhas de Dia do Consumidor e Páscoa movimentaram o comércio eletrônico: entre os dias 2 e 15, o varejo virtual faturou R$ 6,3 bilhões, 85% a mais do que no ano passado. O ticket médio dos pedidos também aumentou (de R$ 429,60 em 2020 para R$ 447,50) e 72% dos clientes planejavam fazer as compras de Páscoa pela internet.

Os números comprovam que 2020 promoveu um crescimento recorde para o e-commerce. Tendo o maior faturamento em 20 anos, as vendas online atraíram novos consumidores e ganharam sua confiança, acelerando também a transformação digital das empresas. Estima-se que hoje mais de 1,3 milhão de lojas atuem online no Brasil, incluindo uma parcela significativa de pequenos negócios.

Por causa da COVID-19, a tendência é de que o e-commerce continue em expansão – sendo o foco das próximas campanhas sazonais, como Dia das Mães e Dia dos Namorados. Para ajudar na organização da sua empresa, reunimos neste artigo algumas dicas e melhorias que devem impulsionar as vendas online em datas comerciais e comemorativas

Continue a leitura e entenda como vender mais e melhor investindo na experiência do cliente, em inteligência artificial e no marketing do seu negócio!

LEIA TAMBÉM:

10 dicas para impulsionar as vendas online em datas comerciais e comemorativas

Em todo planejamento de marketing, um calendário promocional ajuda a acompanhar o fluxo do varejo e mapear datas relevantes para os clientes.

Mesmo em períodos de incerteza, como a pandemia, o público tende a aproveitar festas e datas especiais para comprar presentes e itens que já estavam no carrinho, mas vinham sendo “adiados”. Assim, preparar campanhas com antecedência potencializa as oportunidades de venda e as chances de conversões qualificadas. 

Confira algumas medidas que podem ajudar sua equipe a ter o melhor desempenho de vendas em datas comerciais e comemorativas:

 

1. Otimize seu site para conversão

 

Assim como nas lojas físicas, a experiência do usuário é determinante para as vendas online. Quanto mais simples e agradável for a navegação do e-commerce, maior a probabilidade de que aquela “olhadinha” se transforme em compra imediatamente ou no futuro.

Nesse sentido, o primeiro passo é aprimorar a estrutura do site. Um e-commerce bem arquitetado e com design responsivo conta pontos não só com o usuário, mas com os mecanismos de busca, que conferem mais destaque para a sua página. Investir no conteúdo também qualifica o SEO, além de tirar dúvidas que levam o cliente a questionar a compra.

Vale lembrar que, em época de promoções, o tráfego online tende a aumentar. Sendo assim, contrate um bom servidor para não perder oportunidades de venda por conta de problemas técnicos.

 

2. Simplifique as compras mobile

 

Até pouco tempo atrás, os usuários pesquisavam ofertas pelo celular e outros dispositivos móveis, finalizando a compra pelo computador. Embora essa ainda seja a regra do e-commerce, a pandemia está naturalizando cada vez mais as compras por aplicativo, diminuindo a prevalência do desktop.

Desse modo, é mais importante do que nunca favorecer o mobile shopping, ou m-commerce. Além de garantir o desenvolvimento responsivo, você pode integrar seu site com apps de pesquisa, pagamento e entrega, simplificando e personalizando a experiência do cliente. Muitas tecnologias do gênero são de código aberto – ou seja, permitem modernizar sua loja com mais agilidade e o melhor custo-benefício.

 

LEIA TAMBÉM: Integrações para E-Commerce: Como podem auxiliar no crescimento do seu negócio? >

 

3. Personalize a experiência de compra com ferramentas de automação

 

Com o advento do big data, as ferramentas de inteligência artificial (machine learning) hoje são capazes de identificar e até prever o comportamento dos consumidores. Basicamente, essa tecnologia decodifica os dados gerados pelo e-commerce e “aprende” por repetição hábitos e preferências de quem visita o site.

A partir disso, as empresas podem exibir ofertas personalizadas na própria loja ou recomendá-las via automação de marketing, como em campanhas de e-mails e social ads. Incorporando esses recursos, sua equipe tem acesso a relatórios de analytics e pode desenvolver estratégias muito mais assertivas de remarketing, cross-sell e atendimento ao cliente (para implementação de chatbots e outras ferramentas de live chat).

 

E-BOOK PERSONALIZAÇÃO EM COMPRAS

Faça o download e descubra como estar preparado para oferecer conteúdo personalizado e recomendações inteligentes!

4. Aposte em vendas sociais (social selling)

 

As redes sociais são extensões importantes do seu e-commerce. Depois de facilitar as vendas via Facebook e Instagram, o Facebook passou a permitir vendas diretas também pelo WhatsApp – sucesso absoluto durante a pandemia.

O grande apelo das redes sociais é a possibilidade de gerar engajamento e conteúdo orgânico, motivando compras a partir de interações (social selling). Além das mensagens e avaliações dos usuários, curtidas, comentários e compartilhamentos consolidam a sua identidade da marca, e podem estimular novos clientes a confiar em você.

Marcas de maior impacto contratam celebridades e influenciadores digitais para divulgar suas promoções. Em geral, porém, a dica é focar em consumidores reais, que geram maior identificação no público e podem participar de ações co-criativas e de fidelização de clientes. 

 

5. Ofereça recursos interativos

 

Uma das principais limitações do e-commerce está na experiência física dos produtos. Como escolher itens que não se pode tocar, vestir, provar? 

Enquanto a realidade virtual segue como tendência em ascensão, tecnologias mais acessíveis ajudam os clientes e tornam a experiência de compra mais interessante. Vestiários virtuais e calculadoras estão entre os exemplos mais comuns, que permitem ao consumidor fazer investimentos sob medida. 

Mesmo formulários simples, com perguntas sobre o uso habitual dos produtos, podem estimar o orçamento e a necessidade do usuário – aumentando as chances de conversão ao oferecer múltiplas possibilidades de oferta.

 

6. Integre seus canais de venda

 

Você pode já ter ouvido falar em phygital, ambiente que integra os pontos de venda físicos aos digitais. 

Com as restrições da pandemia, essa tendência está acelerada, verificando-se em modalidades como a compra online com retirada em loja e o curbside pickup (espécie de drive-thru de pedidos). A inserção em marketplaces é outra integração popularizada neste período. 

Em todos esses casos, o objetivo é estar disponível para o cliente em todas as frentes de venda, operando de forma unificada. Contando com uma estratégia omnichannel, sua empresa ganha em inteligência e acelera a jornada do cliente, colocando seus times na mesma página e aumentando a satisfação do consumidor. 

 

7. Garanta o melhor atendimento ao cliente

 

Com a competição acirrada no meio online, o atendimento tornou-se o principal diferencial das empresas. Em todos os pontos de contato, atender o consumidor com agilidade, eficiência e sensibilidade impacta a percepção da marca e as chances de conversão.

Para apoiar sua equipe nesse sentido, automatizar processos e contemplar múltiplos canais em sua estratégia é fundamental. Soluções como o CRM ajudam a monitorar interações em todos os terminais, melhorando as taxas de resposta e sinalizando oportunidades de marketing e venda.

Em tempo: lembre-se de treinar sua equipe de atendimento ao cliente e ampliar a operação em períodos de maior demanda, como a Black Friday e as festas de final de ano.

 

8. Diversifique as formas de pagamento

 

Formas e condições limitadas de pagamento levam muitos usuários a abandonar o carrinho. Em 2021, a adesão às carteiras digitais (e-wallets), aos links de pagamento e ao Pix torna ainda mais urgente que as empresas se atualizem nesse aspecto, de modo a garantir e acelerar conversões.

Desse modo, estude as melhores opções de pagamento online para somar aos tradicionais boletos bancários, cartões de crédito e débito. Além de simplificar a finalização da compra, este tipo de transação é rápida e segura, e pode ser praticada por empresas de qualquer porte.

 

LEIA TAMBÉM: Pagamento Online: Como garantir mais segurança nas vendas por e-commerce >

 

9. Aprimore a logística 

 

Gerenciar questões de logística foi um dos maiores desafios do e-commerce em 2020. Com o aumento repentino de vendas online, muitas empresas se viram às voltas com a falta de itens em estoque e atrasos na entrega de pedidos. 

Para evitar transtornos neste ano, é essencial que campanhas sazonais obedeçam à sua capacidade logística. Na dúvida, opere com uma margem conservadora de encomendas e prazos de entrega: para o cliente, é mais importante garantir o produto em mãos do que recebê-lo rápido. 

Avalie também se é possível adaptar as condições de entrega a públicos segmentados. Dessa forma, você pode oferecer descontos no frete para encomendas locais, ou fechar parcerias com entregadores e apps de delivery

 

10. Invista no pós-vendas

 

Vimos que o atendimento ao cliente é um ponto de atenção – e isso inclui interações na etapa pós-venda.

Em geral, reter clientes é mais fácil do que atrair novos consumidores. Por isso, ofereça à sua base condições especiais para estimular a recompra. Você pode conferir descontos exclusivos ou pontos em programas de fidelidade, com benefícios no seu e-commerce e em loja parceiras.

Nutrir o relacionamento com os clientes também ajuda a não soar oportunista. Segmente seus contatos e envie e-mails informando sobre novidades e assuntos relevantes. Além de divulgar produtos e promoções, suas campanhas entregarão conteúdos úteis, construindo uma marca confiável e antenada para a sua empresa.

Conte conosco para vender mais e melhor pela internet!

Esperamos que as próximas datas comerciais tragam ótimos resultados para a sua loja online. Se você gostou deste conteúdo, baixe o e-book abaixo e saiba como escalar seu negócio de forma rápida e sustentável, seguindo as principais tendências do e-commerce:
Conheça também o Commerce Cloud, nosso CRM voltado à gestão de e-commerce. A plataforma é uma solução para empresas B2C e B2B, focada em alavancar vendas por meio do relacionamento com o cliente. Saiba mais e conte com a Salesforce para vender mais e melhor pela internet. Até a próxima!